sábado, 3 de setembro de 2016

Fim do casamento de Fátima Bernardes e William Bonner

Em 29 de agosto de 2016. 
Uma pena...
Depois que o Casal 20 da Globo se separou... acho que vou parar de escrever sobre casamentos. 

Sei que ela reclamava da grosseria dele já desde os tempos em que trabalhavam juntos no Jornal Nacional.
Pouca gente sabe, mas ela começou primeiro que ele no Jornal Nacional. 
E era chefe dele.
Depois ele se tornou chefe dela.

Com seu novo programa, desde junho de 2012, Fátima estaria ganhando 3 vezes mais o que Bonner ganha. 
E olha que ele é um dos jornalistas mais bem pagos do mundo...


Agora vou chamar os universitários... me expliquem aqui:
Um casal que fica 26 anos juntos sabe o que fazer para dar certo, não acham?
Então como as coisas podem terminar assim? Eles têm três filhos...

Justo agora que ela andava mais bonita... usando um figurino mais feminino (se comparado ao que usava no Jornal Nacional)...
Justo agora que ela tinha uma aparência mais leve ao fazer um programa descontraído...

Não era para ser o contrário? Não era para o casamento ter melhorado?
Eu fico triste ao ver um relacionamento assim ruir...

Embora já estivessem anunciado a separação à emissora desde maio, a imprensa diz que ela está arrasada.
Que não dormiam juntos há 2 anos...
Que ele saiu de casa há dois meses...

Sabe outra coisa que noto?
Por que os homens pensam menos na família que as mulheres?
Para eles parece tão fácil deixar tudo para trás...

Ano passado uma amiga da minha família (linda, maravilhosa, gentil, educada!), casada há mais de 30 anos, com 4 filhos... separou-se.
Motivo: o cara arrumou outra. Largou a família e foi viver o romance com a latina (não é brasileira).


Vocês eram lindos juntos!
Vamos ver como vão ficar esses sorrisos daqui pra frente...

Com 3 filhos de 18 anos... Logo, logo formarão família também...
E virão os netos...
Fico pensando: quantos almoços em família William vai perder, para em troca viver com uma outra mulher, começar tudo de novo com ela...

Às vezes, com a saída dela do Jornal Nacional, Bonner pode ter se sentido "perdido", "largado". 
Vai ver ela era o chão dele...

Vai ver William era grosso com ela no JN... E ela quis sair e provar a ele que tinha valor.
Foi fazer o programa Encontros. 
Daí ela começou a ganhar mais que ele... E ele foi se sentindo pra baixo... E fraco na relação.
Ou ainda... Vai ver ela com tantos compromissos novos acabou não dosando bem o tempo dela em relação a ele... Deixou-o de lado. 

Sabem? Muitos homens confessam que não lidam bem com a modernidade feminina. 
Ela os torna fracos, porque eles não conseguem lidar com uma mulher numa situação de poder profissional ou sexual semelhante a deles, sentem que a igualdade de valores está errada.

De qualquer forma... Sei não... Separação nem sempre é a melhor solução. 
Muitas vezes você só arruma mais problema, mais tristeza, mais mágoa... 
Muitas vezes você acaba complicando sua vida, arrumando mais pra cabeça. 

Gente... Tem muita coisa pra ser feita antes de um casal se separar.
A primeira delas é procurar ajuda profissional
Até o desejo pode ser reacendido!

!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!
Motivos que levam os casais ao fim

Queridas... vocês vão ver que a maioria dos motivos são banais demais. 
Pensei que fosse encontrar algo do tipo: 'um dos dois se torna um drogado', ou 'o marido tem surto psicótico e passa a bater na mulher'...

Aqui vão os motivos (na maioria ridículos) que levam um casal a separação:
http://www.jmnoticia.com.br/2016/08/31/o-impacto-do-divorcio-de-william-bonner-e-fatima-bernardes-conheca-os-motivos-que-levam-casais-este-fim/

"Quem pensa que uma separação acontece assim, literalmente da noite para o dia, com um simples comunicado, está enganado.
Infelizmente, para o casal chegar a essa decisão, certamente, já existiam motivos suficientes para o relacionamento terminar, mesmo depois de tanto tempo juntos.

Principais razões

Tentando entender melhor episódios como esse, a Universidade de Western Sydney, localizada no estado de Nova Gales do Sul, na Austrália, realizou um estudo, por meio de psicólogos, a fim de detectar quais as principais razões que levam alguém a terminar um relacionamento amoroso. 
Foram avaliados dados de mais de 5 mil pessoas, de ambos os sexos, na faixa etária de 21 a 76 anos.

No caso das mulheres, o estudo apontou que algumas das principais situações que as levam a terminar um relacionamento são:

– Falta de senso de humor do parceiro
– Sexo de qualidade indesejável
– Preguiça
– Aparência desleixada

Entre os homens, a pesquisa mostrou que os motivos são bastante parecidos, e que, além do sexo e da preguiça, eles não gostam nem um pouco de relacionamentos à distância, pois causam muita insegurança.

Outros pontos como dependência extrema, parceiro que reclama demais, teimoso, que fala muito (ou pouco) também estão entre as maiores reclamações.

O fato de um ou o outro não querer ter filhos também influencia negativamente no relacionamento e pode causar, sim, a separação. 
Daí a importância de conhecer bem os objetivos de vida de cada um antes de partir para o casamento.

Por outro lado, ter filhos de outros relacionamentos também é apontado como um fator negativo e pode causar a separação. 
Por fim, ser extremamente ligado ao corpo, ou absolutamente relaxado com ele, estão entre as causas do fim de um relacionamento."

!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!

Não desanimem... 

Meus pais foram casados por quase 40 anos, mais 6 anos de namoro, nunca um traiu o outro. 
Claro que houve problemas. Porém, aturaram-se... com amor! 
E mantiveram o respeito entre eles até o fim. Isso que acho o mais bonito!
Meu pai faleceu há 5 anos e meio. 
Até hoje minha mãe reza pra ele todas as noites...

Neste tempo já apareceram alguns pretendentes interessados na minha mãe. 
Gente bem-sucedida, tem que ver! 
Um deles é médico famoso em uma cidade próxima daqui, e ficou viúvo também. 
Ligou para minha mãe... Não vou contar a história....
Só o que digo é que minha mãe não quer saber de ninguém: 
"Fui feliz com meu marido; não quero apagar tudo o que vivi com ele, não quero escrever uma outra história com outra pessoa. Sei que jamais seria tão bonita. Prefiro viver das lembranças que seu pai me deixou", diz ela para mim e meus irmãos. 

Eu e meus 2 irmãos temos muito orgulho dos pais que tivemos. 

!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!

Hoje meu irmão mais novo fez espetinhos - isso porque outro dia meu irmão do meio falou que o espetinho é muito bom!

Como sempre, a casa fica cheia. 
Porque aí alguém traz o pão, o refrigerante, faz a salada de tomates... 
Eu fiz salada de batatas com ovos e mostarda (que meu sobrinho adorou!), bolo de chocolate com cobertura de brigadeiro... tudo rápido! 
Alguém coloca música (as mesmas do aniversário do meu filho), e tá pronta a festa!
Aliás, a seleção ficou ótima!!! Hoje que vi melhor!

Todos rindo, todos se divertindo, todos unidos. 
Conversas as mais variadas possíveis... de política a sobre extra-terrestres.
Tem coisa melhor?
Claro: só se meu marido estivesse aqui também. 

!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!*!

Procurem meditar, rezar mais nos meses de setembro e outubro. 
Será importante.


sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Homens com filhos

Olá MULHERES!

Recebi alguns comentários sobre a minha postagem "A Terapia que Fiz", em que abordo os conselhos que recebi de uma terapeuta acerca dos problemas que enfrentei no meu relacionamento - meu marido é um HOMEM COM FILHO!
Resolvi responder aos comentários com esta postagem.

No meu caso, meu marido tem um filho de 15 anos com o qual não conviveu, e que agora resolveu que ele vai morar com ele (era para ser conosco, mas eu não aceitei).

E me disse: "eu mudei e se você quiser é assim".
Foi tipo assim: "meu filho vem morar comigo goste você ou não. Nossos filhos serão criados juntos, queira você ou não." (Tínhamos um filho de 3 meses na época.)

Só faltou ele dizer: "foda-se você".
Mas em vez disso, ele disse: "você está desequilibrada (por não aceitar a situação), vai fazer terapia."

Ou seja: na cabeça dele era minha obrigação aceitar o filho dele ali morando conosco.
"Coisa mais normal do mundo."
É normal aceitar cozinhar para o garoto, lavar o banheiro que ele sujou, cuidar das roupas... Aceitar a ex ligando, e estipulando as regras dela lá dentro da minha casa:
"olha, tô mandando o Léozinho neste feriado, ele está com saudade do pai".
E se você tinha um programa com seu marido?
Vai ouvir dele, ainda que de forma velada: " meu filho é mais importante".

Só pela frase "eu mudei e se você quiser é assim" já deu para perceber em que plano eu estaria se aceitasse a condição do meu marido - pior que a mosca do cocô do bandido. E ele ainda diz: "coisa mais normal do mundo".

Pois é... o problema dos homens já começa aí - eles acham que ainda estamos no tempo das cavernas, e que somos obrigadas a aceitar qualquer coisa de um homem, ainda que isso nos mate.
Sim - isso mata.
Ouvi isso da terapeuta:
"Um relacionamento desse tipo em que a mulher (madrasta) fica num plano tão inferior, a enche de depressão, tristeza, câncer (SIM!). Acaba com sua autoestima, ela fica fraca, doente. Isso é o que vemos em quase 100% dos casos".
Ou seja: MATA.
O assunto é sério, gente.

Ouvi também dela
"É uma situação de máxima submissão esta imposta a uma mulher - ela cuidar dos filhos que o cara fez com outra mulher, como se fossem seus, e ainda ser colocada em segundo plano eternamente - pois o filho será sempre mais importante. Isso é antinatural! Claro que não vai funcionar.
Tem mulheres que deixam até suas profissões em razão da rotina da nova família".

E a sociedade trata isso de uma forma totalmente superficial, e com o mesmo roteiro, a mesma cara de paisagem de sempre - "Ah, a mulher tem que aceitar. O cara já tinha o filho antes dela. Manda ela fazer terapia."

Terapia, minha querida, não vai te ensinar a gostar de ser colocada em segundo plano, gostar de ser desprezada, gostar de se sentir uma intrusa estando dentro de sua própria casa.
A mulher foi tratada por séculos como alguém sem direito a escolhas.
Mas agora as coisas mudaram - as mulheres têm opções.

Portanto, não escolham homens com filhos se vocês quiserem a felicidade e paz de espírito.
Vão viver suas vidas, seus sonhos, com quem valorize vocês.
É o conselho que eu daria a uma filha, se tivesse.

Sim!  Tive sorte com a terapeuta, como vocês comentaram  na outra postagem (apaguei os comentários pois já os respondi individualmente!!!)
Ela me surpreendeu também por ter aberto o jogo para mim de forma tão verdadeira.

Está cheio de páginas na internet que abordam o assunto.
Como é possível perceber, os conflitos são enormes.
Só uma porcentagem muitíssimo pequena dá certo.

Coloco agora alguns comentários interessantes que achei por aí, de mulheres que passam pela situação de se relacionarem com homens com filhos.

()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()

Achei sensacional o comentário da Cintia, em 10/02/2016, e o posto aqui:
www.bemparana.com.br/noticia/31312/como-namorar-quando-o-amor-de-sua-vida-ja-tem-filhos

"Na boa gente, o melhor relacionamento é quando as duas pessoas se encontram no mesmo patamar em igualdade: você solteira e sem filhos e ele também.

Se assim não o for, me desculpem mas é melhor sofrer por um tempo até encontrar um novo amor do que passar o resto da vida sempre envolvida (o) em situações conflitantes com enteados ou ex.

Você muitas e muitas vezes tem que abrir mão de momentos que pra um casal normal são imprescindíveis pois, solidificam a cada dia mais a relação entre eles.

Numa relação normal, a prioridade sempre vai ser o outro, o casamento, a convivência entre eles.

Numa relação em que um dos dois tem filhos de um outro relacionamento, a prioridade sempre vai ser os filhos,.

Passeios a sós, viagens, cumplicidade e até a própria intimidade entre o casal acabam sempre comprometidas.

E isso é pra vida toda, mesmo quando se tornam adultos.

Sou casada há 9 anos com uma pessoa que tem dois filhos que hoje estão com 23 e 18 anos, praticamente criei os dois, pois quando casamos eles vieram morar conosco (detalhe que nem lua de mel tivemos), nunca tivemos privacidade.

Apesar de amar os meus enteados, não posso negar que querendo ou não a presença de filhos de seu(a) companheira(o) num outro relacionamento com uma pessoa sem filhos atrapalha e muito.

Os desentendimentos são constantes e as frustrações são muitas pois na maioria das vezes e em quaisquer momentos os filhos estarão sempre em primeiro lugar e o relacionamento entre o casal sempre estará em segundo plano principalmente quando o cônjuge (no caso o que tem filhos de outro relacionamento), não estabelece limites e regras de convivência entre os seus filhos e seu (a) novo (a) parceira.

Por isso, com base na minha experiência, o meu conselho a vocês solteiras(os) é que permaneçam assim até que encontrem alguém que esteja na mesma condições que vocês e aos separados com filhos, que encontrem também alguém na mesma situação que vocês pois desta forma poderão compreender melhor as necessidades um do outro e com certeza será uma troca de experiências menos conflitante e também menos dolorosa para os dois."


()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()
www.bemparana.com.br/noticia/31312/como-namorar-quando-o-amor-de-sua-vida-ja-tem-filhos
Comentário da Eu@eu.com.br, 3 de julho de 2016.

"Nunca consigo ler algo que realmente me faça pensar a encontrar uma saída para um relacionamento onde um dos dois possuem filhos. 
A internet está cheia de conselhos banais , que não relatam o dia a dia de milhares de famílias realmente.
Eu sempre me volto para conversar com Deus para que Ele, sim, me instrua no melhor caminho a seguir. 
Porque eu, assim que todos nessa situação, queremos ser felizes com a pessoa amada. 

Mas administrar filhos de outro casamento, ex mulher - por mais tranquila que seja é muito desconfortável, sogras possessivas amigas da ex, que se acham donas dos netos, enfim, tudo que cerca uma relação assim todos os dias

Quando você olha para seu companheiro vê nele muitas qualidades, o admira até como pai. 
Mas vc não tem filhos com essa pessoa. 
(...)
O que eu faço então?
Eu fico tentando encontrar razões psicológicas para me entender e conseguir resolver isso dentro de mim. 
Mas a internet não tem nada que eficiente. 
Até mesmo a busca de temas como esse é altamente complicado. 

E quando passar 5, 6, ou 10 nos ... Eu vou me arrepender? 
A maior parte dos comentários que leio diz que sim. Eu tenho 36 anos. 
(...)
Quero exemplificar que a relação de mulheres sem filhos casadas com parceiro com filhos vive conflitos dos mais abrangentes. 
Sogras, filhas, abandono, segundo plano, não sou a mãe, não tenho parentesco nenhum com ninguém que "o cerca"... É muita coisa junta e, por fim, nenhuma instrução capaz de ajudar a resolver esses conflitos sem que você decadente no divã e tenha uns bons 200 reais pelo menos por hora para começar a falar de tudo isso e se vc der sorte pegará alguém com boa instrução para ajudar, do contrário serão os donos desses mesmos textos evasivos que estarão do outro lado da mesa do divã.
(...) "

()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()()
www.bemparana.com.br/noticia/31312/como-namorar-quando-o-amor-de-sua-vida-ja-tem-filhos

Comentário da Bruna, de 11 de julho de 2016.
Obs.: A Bruna me parece ser jovem. 
Notem como para ela a situação do marido com filho é extremamente difícil para ela lidar.
Deu pena ao ler...

Em nosso relacionamento, não vivo satisfeita, não tenho privacidade, não tenho vontade própria, não posso fazer programas sozinha com ele, minhas vontades não são realizadas, não sou primeiro lugar na vida dele, não me sinto única

Bruna
Eu sinceramente não sei mais o que fazer, estou com um homem mais velho que tem um filho pequeno. Nos casamos há pouco tempo.
Mas é muito complicada a convivência. 
Ele esta certo em dar atenção pra o filho e tudo, mas isso tá estragando muito

Eu queria mesmo era estar sozinha com ele, curtir o nosso relacionamento, até ter nossos filhos. 
Só que nesse caso, tenho que viver de acordo com a rotina do filho dele. 
E viver assim significa abrir mão das coisas a dois que você mais quer e sente necessidade de fazer. 

Acontece tanta coisa que eu não gosto. 
Detesto quando ele ao invés do nome, chama ele de "amor", é um saco isso. 
Tudo que o filho dele quer ele faz, eu vou ficando sempre pra trás. 

Se eu achar ruim uma coisa que o filho faça, ele não quer que eu diga, sendo que a casa é nossa. 
O pior é que tudo que o menino faz acha engraçado, incrível, mas eu não sou reconhecida apesar dele dizer que me ama, e eu sei que sim. 

Eu não vivo mais a minha rotina, não podemos ter aqueles programinhas espontâneos, de última hora, pq tem que levar o filho e eu já vou me desanimando. 
Estou sem privacidade definitivamente, não tem mais programa de casal, quando era no namoro ainda ficava fácil, mas agora não tem nada. 

Às vezes quero assistir a TV um programa legal, mas sou obrigada a ir deitar, pq o menino tá assistindo, e começa a fazer birra, e eu fico com a cara no chão, e meu marido vai apoiar ele. 

Sem contar quando o menino adoece tenho que dormir no sofá, pra que ele durma com a criança, isso me machuca muito. 

Nem fazer amor está fácil, tem que ser quando dá, não tenho escolha. 

Nunca tinha traído ele, mas eu não me aguentei, e esses dias acabei traindo meu marido fazendo com outro cara. 
Eu estava precisando de um momento assim com meu marido, mas sempre que quero não dá. 
Ele abriu portas pra isso acontecer, não sou de ferro, quero fazer amor todos os dias. 

Quando é no final de semana que é pra aproveitarmos juntos, ele vai passear com o filho, fazer os gostos dele. 
Ele me chama, mas não tem graça pra mim
Parece que o filho que é a mulher dele

Antes eu ficava em casa chorando me sentindo sozinha, hoje em dia saio com as minhas amigas e procuro alguém que tenha a atenção só pra mim
Se eu soubesse que nosso relacionamento ia ser assim, não tinha nem ido morar junto

Hoje a minha vontade é terminar, afinal não estou sendo feliz assim ficando em segundo plano

Antes ele dizia que o filho não ia ocupar meu espaço, pq é apenas uma criança, mas parece que tudo mudou. 
Morro de ciúme, não suporto ter que conviver assim. 
E o pior que parece que ele faz por onde. Eu só queria ver se eu ficasse dando motivos pra ele. 
E o meu alívio é saber que não sou a única que me sinto assim, e passo por isso. 

Acho que no pensamento dele por eu ter escolhido ele com filho, ele deve achar que eu tenho que aceitar tudo, que eu tenho que mudar, sendo que se não fosse esse menino poderíamos viver em paz. Ultimamente só brigamos por causa disso. 

A mãe nunca nem vê o menino, responsabilidade total é dele. 
Lindo isso, mas de longe, porque na convivência é um c@. 
E ele só falta comer a bosta que o menino caga. 
Pra mim, nosso casamento está acabando a cada dia. 
Eu não sei aceitar esse brinde que veio. 
Só trouxe problema e tristeza pra minha vida

Em nosso relacionamento, não vivo satisfeita, não tenho privacidade, não tenho vontade própria, não posso fazer programas sozinha com ele, minhas vontades não são realizadas, não sou primeiro lugar na vida dele, não me sinto única

Abro mão das coisas que eu sempre quero fazer com ele, pra ficar com ele tendo esse filho só pra sofrer as consequências do que outra mulher fez. 
Me dói muito isso, porque quem era pra cuidar desse filho era pra ser a mãe.
A minha raiva é que ela está aproveitando a vida dela, e deixou tudo pra ele fazer. 

E nós não aproveitamos nada, pelo contrário, a cada dia nosso relacionamento está acabando, está deixando muitas cicatrizes. 
Me sinto tão mal, porque quando eu olho pra o menino, só lembro da mãe, é como se meu marido estivesse me traindo o tempo inteiro, porque é um laço que nunca vai deixar de existir, me sinto mal mesmo, saber que é filho de outra pessoa. 

E o pior que é o primeiro filho, tudo que eu queria dar pra um marido meu, mas ele já tem. 
Nem sinto mais vontade de ter filho com ele. 
Eu sei que não vai mais ser aquela expectativa, a notícia do primeiro filho pra mim seria tão especial de dar para ele. 

Chegar e dizer amor, nosso primeiro filho. 
Queria tanto ter o prazer de dizer isso para um marido meu, mas isso não vai ser a mesma coisa nunca com ele. Acabou pra mim. Desanimei completamente. 
Eu amo muito ele, e por isso estou com ele até hoje, enfrentando o que essa situação causa em mim. Me ajudem! O que eu faço, estou a beira de acabar com meu casamento.